ACOMPANHE ESSE BLOG DE PERTO!

25 de out de 2011

PARTICIPE DO BLOG

Como muitos já perceberam, estive ausente por uns tempos, por motivo de saúde, e tenho retomado aos poucos, fazendo atualizações, procurando textos mais elaborados, utilizando, inclusive, fonte de outros sites e blogs. Estou arrumando um tempo a mais para voltar a escrever.
E hoje, gostaria de pedir a colaboração e a participalão de vocês, como por exemplo, para saber qual os temas mais lidos, os assuntos mais pesquisados, as maiores dificuldades, enfim, assuntos mais importantes e/ou mais interessantes pra vocês, ledores, visitantes e pessoas que o acompanham. Também aceito sugestões, ok?

Além disso, gostaria de postar ao menos uma vez por mês um testemunho, ou a história de alguma criança com baixa visão, relatada por um parente próximo ou alguém que tenha acompanhado a evolução... pode ser até mesmo um profissional. Para isto, quem quiser participar também dessas postagens, envie fotos e um histórico de como tudo se desenvolveu desde o início, ou mesmo conte experiências que vocês acreditam ser importantes para o estimulo aos pais e profissionais que atuam nesta área.


Desde já, agradeço a participação e colaboração de todos e novamente reforço que qualquer sugestão ou comentário será bem vindo!
Abraços!!!

CONTOS PARA PROMOVER A AUTOESTIMA: UM GRÃO DE ARROZ


Há muitos anos atrás, num país que não é este, existiu uma colina que não era como as daqui. Aos pés dessa colina havia uma aldeia onde seus habitantes não viviam muito felizes, e por isto a colina era cinza. As pessoas se sentiam tristes sem nunca saber qual era o motivo de sua tristeza.
Um de seus habitantes era um menino chamado Fito. Fito gostava de ajudar a mãe na cozinha, mas sempre o entristecia ver que sempre preparavam o mesmo em casa. Fito sentia que poderia ajudar, mas não descobria como.
Um belo dia, Fito decidiu visitar a aldeia vizinha. Esta aldeia não era cinza como a sua, mas verde, muito verde. Os aldeões cruzavam as ruas felizes, os mais velhos assobiando e as crianças pulando. Caminhando por suas ruas, Fito descobriu uma casa muito bonita. Nela havia um cartaz que dizia: "Descubra a receita da felicidade" - Aulas de culinária para crianças. Fito não hesitou e se inscreveu.
Fito foi seguidamente as aulas e era tão aplicado que memorizou todas as receitas, até as mais complicadas. O problema era que ao fazê-las, nunca saiam bem. Às vezes, ele queimava a manteiga, outras vezes lhe passavam as medidas de sal ou água e inclusive em outras o preparado terminada numa massa nada comestível.
Um dia, Fito sentou-se sob uma árvore na saída do curso. Revisava seu caderno de receitas quando descobriu entre as páginas um grão de arroz. Querendo pegá-lo e para seu espanto, o grão de arroz saltou e lhe disse o seguinte:
- Por que me acordadou? Estava quente aqui dentro! Fito levou um susto. Não podia acreditar. Um arroz estava falante!
- Você pode falar!
- ... E cantar e dançar e fazer muitas coisas. E aposto que você também.
- Não. A verdade é que nada do que eu faça me sai bem.
Fito foi para casa conversando com o grão de arroz. Já era hora de dormir, quando finalmente lhe seu problema.
- Não se preocupe, Fito – lhe disse o arroz, pulando de alegria. Deixa comigo.
No dia seguinte, Fito participou do curso de culinária escondendo o grão de arroz no seu bolso. Antes de se dar conta, a Arrozinho já havia subido e se escondido atrás da sua orelha. Porém, não disse uma palavra até o final da aula:
- Fito, creio que sei o que te falta. Amanhã quando regressarmos eu te direi. Ah, só mais uma coisa, pense no que você mais gosta na vida, o que mais anseia e o que o faz mais feliz.
Fito aceitou e no dia seguinte ele disse ao Arrozinho:
- O que eu mais gosto é de fazer comida com minha mãe. Sinto saudades de vê-la feliz, assim como cantando suas canções... isso me faz feliz.
- Pois então, Fito, quando você estiver cozinhando, pense nessas canções. Sinta o que você faz como você sente essas músicas. Faça com seu coração.
Neste momento a aula começou e com ela Fito a cantar uma música, cantarolando sua melodia. Em sua mente veio a imagem de sua mãe cozinhando, e em seu coração um sentimento de uma inacreditável felicidade. As mãos de Fito se moviam por toda a mesa tomando os ingredientes suavemente, mas com habilidade e segurança.
Seus amiguinhos do curso ficaram espantados. Um festival de luzes coloridas surgiam por todos os lugares na mesa de Fito. Ninguém mais atinava a fazer nada. Até que Fito terminou sua receita.
O professor, um chef muito sério e um pouco gordinho, aproximou-se. Com uma sobrancelha levantada tomou uma colherada do prato de Fito e fez-se um enorme silêncio.
Um sorriso de satisfação no rosto do professor e seus pés desprenderam-se ligeiramente do chão, enquanto um luminoso arco-íris se desenhava em seu peito.
A notícia correu como um rio caudaloso e chegou à aldeia de Fito antes de ele retornasse de sua aula. Ele foi recebido como um herói. Fito foi então encarregado de expandir a sua arte na vila.
Mas o que Fito nunca deixou de fazer foi preparar a comida com sua mãe – a mãe mais feliz da aldeia – em sua cozinha.
E foi assim como Fito descobriu que para ser e fazer todos felizes, primeiro você deve estar feliz consigo mesmo, do que você é, e do que você pode ser capaz de fazer. Não importa o quão pequeno você se sinta.
E que fui feito do grão de arroz? Bom, ninguém soube mais dele. Mas quando você estiver debaixo de uma árvore e sentir-se preocupado e confuso, você pode deixar seu livro ou sua mochila da escola aberta. Talvez, encontre dentro de um deles um Arrozinho ao voltar pra casa...

FONTE: http://mikinder.blogspot.com/2011/08/cuentos-para-promover-la-autoestima-un.html
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Muitas mudanças ocorreram nos últimos vinte anos, quando teve início a prática da Baixa Visão em nosso país. O oftalmologista brasileiro, porém, ainda não se conscientizou da responsabilidade que lhe cabe ao determinar se o paciente deve ou não receber um tratamento específico nessa área. Infelizmente, a grande maioria dos pacientes atendidos e tratados permanece sem orientação, convivendo, por muitos anos com uma condição de cegueira desnecessária." (VEITZMAN, 2000, p.3)

.
.

NÃO ESQUEÇA!....

NÃO ESQUEÇA!....

FONTES PARA PESQUISA

  • A VIDA DO BEBÊ - DR. RINALDO DE LAMARE
  • COLEÇÃO DE MANUAIS BÁSICOS CBO - CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA
  • DIDÁTICA: UMA HISTÓRIA REFLEXIVA -PROFª ANGÉLICA RUSSO
  • EDUCAÇÃO INFANTIL: Estratégias o Orientação Pedagógica para Educação de Crianças com Necessidades Educativas Visuais - MARILDA M. G. BRUNO
  • REVISTA BENJAMIN CONSTANT - INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT